27 de dez de 2009

VIVERANDO

o cinco flechado com um ponteiro no peito
o pum! do peido o aaa...! do espreguiçar
o coador mixando um líquido preto
o ronco do pão dormido em seu sono
a escova deslizando entre cabelos e dentes
os botões trancando o corpo
o pássaro engaiolado do vizinho ao lado
o relinchar dos cavalos nos carros
a boca cheia do bueiro
a boca vazia do mendigo
as bocas borrifando bom dia
os sapatos na calçada
os chinelos na calçada
os saltos altos na calçada
os pes descalços na calçada

Tudo naquela manhã, tudo,
do silêncio ao barulho
do tudo ao fútil,tudo,
faziam questão de dizer pra mim
que a vida não é(ra) tão ruim
como foi dito e escrito de mim pra eu
a noite antes de dormi.

*um minuto
vivido
respirando sorrindo chorando lutando ...
etc & tal
é previlégio p'r'um animal.