16 de jan de 2011

Caminhão de Porco

Vem de Santa Cruz do Escalvado
Vem de Urucania
Vem do Pontal
Vem de Oratórios
Passsa pela Avenida Francisco vieira Martins
Ronc ronc ronc-ando
A principal da cidadezinha
Passa Ronc ronc ronc-mente
Entre butiques bares e gente
Anarquizando o Ar
Uma galera
Com jeito diferente
Com cheiro diferente
Com fala diferente

.A gente sente o nojo
quando vivo,
mas da gosto na panela quando morto
O nojo que mata a fome do Homem.
Aí inverte,o Homem torna-se mais porco do que o porco

Quando passa o caminhão
Na avenida principal da cidadezinha
Ronc ronc ronc-mente
Devem nos ver assim
bacons-mente torresmo-mente...
assim,porcamente