1 de abr de 2012

Poemas Postais Paraty-ando...




I


e a maré encheu
ou mar esticou sua língua
e lambeu o centro histórico,
e a maré encheu e lambeu  a rua de pedra
é aí que a gente escorrega trupica
cai e çara
;
mais zigue
do que zague em paraty ando  


II 



Da  praia de são Gonçalo
A ilha do pelado
Vestida
Com um vestido de mar trançado
Da praia de são Gonçalo
A ilha do pelado
Vestida com uma saia rodada de águaclara.
Onde o  barquinho caiçara  é  agulha que trança
O vestido da ilha do pelado

III 

na praia do Jabaquara
o mangue pasta no mar
o peixe pasta dentro do mar
a canoa pasta em cima do mar
o cavalo pasta a beira do mar
e um sujeito  pasta  a agridoce pasta que é sua vida,

IV 

e me lanço nesse Mundo
como   uma   tarrafa caiçara
lançada na água
com uma vontade
garoupamente
danada.