18 de fev de 2008

Luz Salvante

-Rara Luz-

Suprema Luz do mundo que transpassa,
Desperta do âmago imortal do céu,
Não te guardas neste Leito da Graça
Pois ha tristezas debaixo do véu,

Rostos frios sorrindo de desgraça,
Embevecidos com o vinho de fel
Degustado em um banquete,que enlaça,
Agonia ao sonho,deixado ao léu,

Quando tu se esvance no Intangível
A Escuridão envolve a Alma com cilício
Condenando-a ao perverso suplício

Das noites amargas,estremecendo
O Corpo e Mente,lúgrubes,gemendo
No Círculo sórdido do Invisível.