20 de fev de 2008

Luta Infinda

-Batalha na Vida-

És Guerreiro na batalha da Vida;
Faz do coracão teu escudo pujante,
E a razão tua espada compadecida,
No combate infindável e lacerante

Das noites de tormenta desmedida,
Do soturno convívio dilacerante
Ensanguentando a esperança estendida
No horizonte do sonho, lampejante.

Gladiando na enevoada Arena,
Ó alma doce e amarga e palpitante!
Faz destas dores tua láurea serena.

Gotas de Esperança, caem ainda
Na tua lança, borbulhante e arquejante,
Guerreiro efêmero da Luta infinda.