24 de jan de 2010

Soneto Mexido

[mixidão a mineira]
lamento o Mundo ali,preto,queimando
/panela de pressão pedra e cimento/
do lado esquerdo dela é onde fico/
corpo de tacho alma humana e cana/
aproveito a quentura desta Terra
p’r’a cozinhar-me dentro de mim mes-mo(
meus tropeços as minhas correrias
minhas tristezas minhas alegrias
juntar com arroz feijão angu e ovo
temperá-los com dentes de alho e unhas
de esforço.E mexer mexer mexer...

depois que’u, outros, morte me comer:
dor de barriga?ou arroto com
cheiro
de vida?
(intensa,
louca
e ardida)