4 de abr de 2008

Soneto IX

Entre o silêncio e as dores do caminho
Lança-te para a esfera mais distante
Da noite escura, clara e soluçante.
Hás de encontrar o imenso e ideal carinho.

Vai com teus sonhos,Sonhador, sozinho!
Vai palpitando, ardente e confiante ,
Silenciosamente radiante,
Embreagado do noturno vinho

Atravessando por entre os tormentos,
com o peito enfervecendo de esperanca.
Sempre ignorando os medos e os lamentos

Quando se erguerem vorazes,bramando.
Segue no embalo ,na alta confiança.
Vai com teus sonhos,Sonhador,sonhando!